Batista: “Pagaria para ver Argentina x Espanha” Alexandre Leon Anibal - 1/09/2010 - 19:10

Em entrevista à agência EFE, o técnico da Argentina, Sergio Batista, conta que pagaria ingresso para ver o amistoso entre Argentina e Espanha, a ser disputado no Monumental de Núñez na próxima terça-feira: “Claro que compraria ingresso para ir na terça ao estádio, porque será um grande jogo, com jogadores que possuem altíssimo nível técnico. O jogo também pode ser pegado, embora isso seja mais difícil quando falamos de jogadores argentinos e espanhóis”.

“Sabemos que se dermos a posse de bola para a Espanha vamos ter muitos problemas e teremos que pressioná-los. Temos que ter ordem e fazer com que a equipe não entre em desespero. Eles ocupam muito bem o campo e tratam bem a bola”, indicou.

Batista admitiu: “A Argentina tomará as precauções necessárias, pois sabe que a Espanha é campeã mundial com jogadores que jogam juntos há anos. Talvez, nós não tenhamos a preparação que eles têm. Mas contamos com jogadores que são muito inteligentes e que são muito bons tecnicamente, sendo destaques na Europa. Assim, o jogo pode ser muito bom”.

Em relação ao fato de ter a Espanha como adversário logo na sua segunda partida à frente da Seleção, Batista disse: “São ótimos desafíos e gostei do fato de jogar contra uma equipe tão boa. Podem pensar que, se gostaria de se manter no cargo, seria melhor não jogar contra o campeão mundial, mas eu gosto do desafio”.

“O que devemos copiar da Espanha, e eu sempre disse isso, é o projeto com as categorias de base, cujo tempo é de aproximadamente dez anos. Vi nas categorias de base, já que era técnico da Argentina, grandes jogadores na sub-20 e sub-17. Embora não tenha ganho muitos títulos nessas categoria, o mais importante para os espanhóis é aquilo que todos nós deveríamos dar prioridade, que é a formação de jogadores para serem campeões, como agora”, adicionou.

Quando o assunto passou ser o ex-técnico da Argentina, Diego Maradona, Batista afirmou: “Liguei para ele duas vezes, mas não por questões técnicas. Liguei para ele para saber como ele estava. Estava muito animado com a Copa e o vi muito triste após a eliminação. Mas não recebi nenhum retorno dele. Os assuntos professionais não me interessavam quando liguei para ele, pois haveria tempo para falar disso. Queria falar sobre assuntos pessoais, humanos. Não tenho nenhum problema com Maradona nem com nenhum outro técnico argentino. Gostaria de me reunir com todos para trocar ideias e Diego é mais um”, finalizou.

Analista de sistemas, radialista e jornalista, pós-graduação em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte. Neto de argentinos e uruguaios, herdou naturalmente a paixão pelo futebol da região. É membro do Memofut, CIHF, narrador do STI Esporte (www.stiesporte.com.br ) e comentarista do Esporte na Rede, programa da UPTV (www.uptv.com.br ).

Tags:,