Uma “forcinha” para o Mano Joza Novalis - 28/09/2011 - 15:45

O técnico Mano Menezes reclamou do regulamento, que, por ser dúbio, permitiu a convocação de quatro jogadores argentinos que atuam no Brasil. Pior que isso foi ambos os técnicos falarem que não há nenhum jogador brasileiro atuando no futebol argentino, o que é uma afronta a atletas como Roberval do San Martín (SJ), só para ficar no futebol de elite. Neste caso, o Futebol Portenho resolveu dar uma força para o Mano e apresentar ao treinador canarinho alguns nomes de brasileiros que atuam na Argentina. Uma maneira de atenuar a “desvantagem” alegada pelo ex-técnico do Corinthians.

A questão de haver bons jogadores argentinos atuando no futebol brasileiro tem a ver com a situação econômica dos dois países. O Brasil vive um momento melhor em sua economia que a Argentina, que somente nos últimos anos é que tem se recuperado dos transtornos econômicos que tiveram em Menem e Domingo Cavallo seu momento singular e simbólico. Desta forma, bons atletas argentinos migram sobretudo para países como Chile, Colômbia, México e Brasil; sem contar as transferências para o Primeiro Mundo e novos países ricos. Mas, atletas brasileiros estão em todos os lugares. Estão no Vietnam, Indonésia, Islândia e em outros cantos remotos do planeta. Mas o Mano tampouco dá bola para eles, pois basta olhar para os grandes centros e vai encontrar uma enormidade de jogadores que podem vestir a amarelinha.

Só que para o Superclássico das Américas ele só poderia convocar os jogadores locais. Ao menos foi a leitura que a CBF fez do belo regulamento da competição. E qual não foi a surpresa de Mano Menezes ao perceber que a AFA fez uma leitura diferente do mesmo documento (a mesma que a CBF faria se lhe interessasse) e chamou quatro argentinos que atuam com destaque no futebol canarinho? A surpresa foi tanta que o contido treinador soltou o verbo, reclamou do regulamento e falou em desvantagem para o Brasil. “Obviamente a mudança dá uma vantagem maior para um lado em relação ao outro, porque eu não tenho lá na Argentina atletas brasileiros atuando”, disse Menezes. Ao que Alejandro Sabella tranquilo e pacificador (por enquanto) respondeu: “Como não há atletas brasileiros no campeonato argentino pode ser que haja algum benefício para nós (…)”. Respeitando a ignorância que todo mundo tem o direito de ter, o FP resolveu dar um pitaco nessa história e oferecer uma “mãozinha” para o Mano. Alguns nomes:

Quem encabeça a lista é Emilson Roberval, do San Martín de San Juan. Só que o atleta do Verdinegro está contundido. É uma pena para o comandante canarinho, pois o atacante brasileiro é um verdadeiro tanque de guerra no comando de ataque. Nesse caso, Mano tem as seguintes opções: Maicol Silva, do Gimnasia La Plata; Jean Cardoso Edílio, do Estudiantes de Buenos Aires (Não vá convocar errado, Mano. Trata-se do Estudiantes da cidade de Caseros); Homero Sartori, do Barazategui (Primeira C); Gustavo Maccarone, do Sportivo Belgrano (Torneio Argentino A) entre outros. Claro que os atletas listados acima podem não fazer parte dos sonhos do treinador brasileiro. Mas ninguém falou em qualidade. Tanto Mano Menezes quanto el Pachorra falaram apenas que não havia jogadores brasileiros no futebol argentino.

Portanto deixamos a nossa contribuição. Para o verdadeiro pavor que a presença do Motillo anda causando na comissão técnica brasileira, que tal a convocação de algum brasileiro lá da Argentina? Agora já se conhece alguns nomes. Se não for o caso da convocação de nenhum deles que se modifique o nome da tal “desvantagem”.

Joza Novalis

emailfacebooktwittergoogle plus

Mestrando em Teoria Literária e Lit. Comparada na USP. Formado em Educação e Letras pela USP, é jornalista por opção e divide o tempo vendo futebol em geral e estudando o esporte bretão, especialmente o da Argentina. Entende futebol como um fenômeno popular e das torcidas. Já colaborou com diversos veículos esportivos.


Tags:, , , ,
 
Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.